Quando você tem uma casa espiritual na Terra

Postado por Mila Orrico

Certa vez em uma doutrinária ouvi Lívia Pereira, a fundadora do Centro Espírita onde trabalho, nos dizer que a missão dela era construir a nossa casa espiritual na Terra. De forma simples, esta fala teve um impacto grande em meu coração, minha mente se expandiu com a ideia de quão importante é a existência desta casa para seus trabalhadores. Quão afortunados somos por ter aqui na Terra um local de cura do Espírito. É para lá que vamos curar nossas angústias, curar nossas frustrações, curar nossas dores morais, curar nossa falta de fé, curar nossa descrença no Evangelho, curar nossa ignorância em relação às leis de Deus. Na Casa da Caridade Irmã Elisabete aprendemos na prática que essa cura acontece sempre através do trabalho, que é coordenado pelos bons Espíritos, orientados por Jesus.

Quando você tem uma casa espiritual na Terra você nunca se sente só, você tem a convicção de que naquele lugar existem pessoas encarnadas e desencarnadas dispostas a lhe amparar, lhe acolher, dispostas à fazer você caminhar, mesmo quando você não está lá. Mesmo nos momentos mais difíceis você sabe que será envolvido por todos as boas vibrações possíveis, que lhe darão força para continuar.  Em uma casa espiritual você adquire, aos poucos, a convicção de que dor é uma ferramenta que existe para que nosso coração seja burilado, e principalmente, você tem o estímulo necessário para instruir sua alma com o que é necessário para começar a compreender sobre a imensidão da vida humana. Eu sou feliz nesta vida, e grande parte desta bem-aventurança tem a grande contribuição da existência deste local.

A minha casa espiritual é uma casa espírita, mas não acredito que esta é uma característica exclusiva do Centro Espírita. Penso que podemos encontrar esta casa em qualquer lugar que reúna qualquer conjunto de pessoas dispostas a orar e auxiliar outras pessoas em suas necessidades espirituais, dispostas à agir com Caridade. Caridade significa “amor à Deus e ao próximo”, e uma casa espiritual é um lugar onde Caridade é um exercício diário, inclusive caridade para consigo próprio.

A cada novo aniversário desta minha casa eu sinto renovado o sentimento de gratidão à Lívia e a Irmã Elisabete. Gratidão por poder trabalhar em minha casa espiritual na Terra, pela oportunidade de conviver em um lar espiritual! Neste último sábado tivemos mais uma vez um Feliz Aniversário!

Parece-me que no Céu

a minha missão será atrair as almas

ajudando-as a sair de si

para se unirem a Deus

por um movimento bem simples e amoroso

e a guardá-las

nesse grande silêncio interior

que permite a Deus

 imprimir-se nelas

transformando-as em si.

– Irmã Elisabete

Bolo Casa da Caridade Irmã Elisabete

 

A Casa da Caridade Irmã Elisabete é um lar. O que é um lar? Um local onde sempre sentimos vontade de voltar. Lar é um local onde quando chegamos somos recebidos com amor, com sorrisos, com palavras exclusivas de saudade e acolhimento. Não importa se você esteve lá a pouco ou muito tempo, é um local onde sempre somos envolvidos em abraços fraternos por nossa família. O que é família? É o conjunto de pessoas que nos amam, e por isto nos auxiliam a caminhar em nossa reforma íntima, estão sempre dispostas a compreender nossas falhas, são aqueles que nos fazem sentir vontade de ser pessoas melhores.

Rendo graças a Deus, pois tive a benção de reencontra-los, e tenho a oportunidade de conviver com minha família espiritual, aqui na Terra!

 

Anúncios

Lágrimas e despedida na Terra… Festa e reencontro no Céu!

Postado por Mila Orrico

A dor da perda de alguém que amamos é pungente e causticante, mas aos poucos ela é substituída pela saudade que traz a lembrança dos bons momentos, e pela esperança do reencontro. Embora nunca estejamos preparados, a grande certeza que temos nesta vida é a de que podemos retornar à pátria espiritual a qualquer momento. Evite despedir-se de alguém que você ama muito sem lhe mostrar o quanto o ama. E se brigar, faça as pazes rápido. Peça desculpa, a relação é sempre mais importante do que manter o orgulho. Não deixe pra depois, pois o depois pode não existir.

A vida continua, mas como ela continua?

Com a sutil noção que tinha sobre a vida após a morte, Paulo de Tarso escreveu em sua primeira carta aos Coríntios:

“Mas alguém dirá: Como ressuscitarão os mortos? E com que corpo virão?” 1 Coríntios 15:35

“Semeia-se corpo natural, ressuscitará corpo espiritual. Se há corpo natural, há também corpo espiritual.” 1 Coríntios 15:44
Quero esclarecer meu entendimento em relação a palavra ressuscitar. Segundo o estudioso de línguas, ex-padre e especialista em hermenêutica bíblica, Carlos Pastorino:

EGEÍRÔ é a origem grega da palavra ressuscitar, composta de GER com o prefixo reforçativo E (cfr. o sânscrito ajardi, que significa “estar acordado”) tem exatamente o sentido de “despertar do sono, acordar“, ou seja, passar do estado de sono ao de vigília.

Simplificando, ressuscitar neste caso é uma referência a “renascer”, assim, a alusão de Paulo de Tarso a semear se encaixa perfeitamente com o nosso costume de enterrar o corpo que está morto. A semente enterrada morre, e depois disto nasce um novo corpo. O discípulo Paulo deixa bem claro que não é o mesmo corpo que vai renascer, mas que o Espírito é o mesmo.

Sempre tive a expectativa de saber como será a minha chegada lá, mas não penso em relação ao corpo, minha expectativa está em saber como será o sentimento de retorno. Nesta vida desejo alcançar os 100 anos, mas a certeza de que pode acabar a qualquer momento me dá a lucidez necessária para viver cada momento intensamente.

Estar ciente disto me ajuda a não me apegar a bobagens, não me melindrar com as atitudes e palavras equivocadas dos outros. Ter esta noção me faz amar meu marido, minha mãe, meus irmãos e minhas amigas com devoção. Tento não perder a oportunidade de ser útil a quem que seja. Gostaria de deixar saudade, não dor. Vivo me esforçando diariamente para que quando for chamada de volta seja recebida com festa, para que tenha cumprido pelo menos parte do que me propus antes de encarnar. O meu esforço é para que, no retorno, eu seja pelo menos uma pessoa melhor do que era na chegada à Terra.

Amo este texto de Chico Xavier sobre o que ele esperava dos amigos em sua morte, eu faço minhas as palavras dele, se eu morrer antes de você:

se eu morrer antes de vc_chico xavier_

Já lí em diversos livros do Espírito André Luiz (psicografados por Chico Xavier), que na chegada ao mundo espiritual, se fomos bem sucedidos em nossa missão na Terra, somos recebidos com a mesma alegria que fomos recebidos quando nascemos.

Recentemente fiz uma viagem à São Paulo para acompanhar minha irmã Márcia em uma cirurgia complexa. Viagem longa para reencontrar uma pessoa que amo, em um local diferente para mim, com um objeto específico. Chorei a despedida, por ter que deixar meus amore de convívio diário para passar um tempo indefinido em outro lugar. Mas, parti com a certeza do reencontro, do retorno algum dia. Quando cheguei ao destino, a dor da recente despedida foi substituída por alegria. Me senti feliz por encontrar quem amo e não via a muito tempo, por estar ao lado dela. Eu sabia que em algum momento, quando minha presença não fosse mais necessária, teria que novamente chorar a despedida, e me alegraria com a expectativa do reencontro com aqueles que deixei em meu local de origem. Tudo correu bem na cirurgia, e após a alta no hospital, retornei para Salvador sem ela, que só poderia voltar 30 dias depois. Sai de lá triste por deixa-la, mas cheguei em Salvador com o coração cheio de alegria, fui recebida por outros amores que aguardavam meu retorno.

Pois bem, a morte física é assim, o retorno de uma viagem a trabalho, cumprida a missão é hora de retornar. Enquanto aqui a despedida é triste e dolorosa, lá a chegada é festa cheia de alegria.

O filme baseado no livro chamado “E a vida Continua… ” mostra uma cena em que é chegado o momento de um Espírito reencarnar, e lá, seus familiares se despedem com semelhante sentimento de perda ao qual nós nos despedimos de nossos entes queridos, em sua morte física. Mas, logo após, ao renascer com novo corpo na Terra foi recebido com imensa alegria. O que é motivo de tristeza em um lugar é motivo de alegria em outro.

Fica aqui a minha mensagem para todos que são abruptamente separados de seus amores, que a esperança de que um dia estarem juntos novamente preencha seus corações:

Aqueles que amamos não morrem jamais, apenas partem antes de nós. Chico Xavier