Migalhas de amor não nutrem o coração

Postado por Mila Orrico

O autor David Richo acredita que há cinco certezas inevitáveis que todos nós enfrentamos, mas que são simplesmente encaradas como surpresas desagradáveis: 1. Tudo muda e acaba; 2. As coisas nem sempre acontecem como planejado; 3. A vida nem sempre é justa; 4. A dor faz parte da vida; 5. As pessoas não são amáveis e leais o tempo todo. Diz ele que quem assimila rapidamente esses fatos como “certezas” vive melhor e consegue amadurecer com as experiências. De maneira objetiva ele mostra como podemos ser felizes mesmo não podendo mudar alguns fatos da vida.

Prestar atenção ao que depende e ao que não depende de nós, ao que se pode e ao que não se pode mudar nos traz por consequência menos estresse, abrir mão de controlar tudo nos faz sentir a vida mais macia, os pensamentos mais leves. A vida fica menos atravancada, e tudo flui melhor, quando entendemos que não é nossa responsabilidade aquilo que não podemos controlar. E há muitas coisas que sequer devemos tentar controlar, umas delas é o jeito de ser das pessoas que amamos. Tentar moldar o outro à nossa própria maneira é um ótimo meio de conquistar fracassos afetivos e emocionais. Se o que o outro nos oferece não é suficiente para nós, então cabe a nós a mudança, não ao outro.

amar é deixar aqueles que amamos serem eles mesmos

Não podemos, nem precisamos controlar tudo, e se entendermos isto também entenderemos que as pessoas não mudam apenas por nossa vontade. A gente pode até tentar contribuir com a mudança, motivar, e até exigir, as vezes a pessoa tenta e para satisfazer nossa vontade a mudança acontece, mas de forma temporária, um tempo depois tudo volta a ser como antes, e cada vez mais as tentativas são mais frustradas, e fica cansativo para as duas partes insistir com as mesmas expectativas de uma mudança que acaba sempre acontecendo apenas de forma passageira. Não é pra sempre que conseguiremos ignorar aquele pequeno incomodo no fundo do coração, aquela  pequena luz que lá no fundo sinaliza que não vale insistir. É natural, a gente idealiza a pessoa, tentando transformar o que se tem no que se deseja. Mas, tentar ser feliz ao lado de alguém que só existe em nossa imaginação não funciona.

não acomode-se com o que te incomoda

Pessoas só mudam por vontade própria. A mudança autêntica acontece quando a gente entende que se não mudarmos faremos a(s) pessoa(s) que amamos infeliz(es), e nós seremos infelizes por consequência. E ainda assim, mesmo com vontade autêntica ainda demora um longo tempo, porque toda mudança de hábitos é um processo de transformação do ser. Já somos acostumados a ser como somos há vários anos, há várias vidas, por isto mudar com a velocidade do toque da varinha de condão é impossível, requer muito foco, muito esforço e persistência.

Adquirimos a capacidade de mudar quando nós próprios sentimos que precisamos transformar nosso íntimo, quando identificamos que realizar uma reforma interior é necessário para não sofrermos mais, para não perdermos quem amamos, para sermos mais felizes, aí sim, a mudança acontece. Não adianta forçarem uma transformação de fora pra dentro, tem que partir de mim!

desilusão é a visita da verdade chico xavier

Desilusão é a visita da verdade, disse-nos Emmanuel através de Chico Xavier. Desilusão demora, mas chega. A gente se acomoda, e corre da verdade até não poder mais, até o dia em que ela fica escancarada de um modo tão grande que não exista mais pra onde desviar o olhar, aí só nos cabe ver o óbvio. E o que faz diferença neste momento é a atitude de compreender e aprender.

A decepção nos mostra que a pessoa com quem estamos lidando não é perfeita, nos mostra o nosso excesso de expectativas, é quando as falhas ficam evidentes, e nos cabe simplesmente decidir se conseguimos conviver com isto. É quando nossa mente se questiona se este alguém realmente nos faz bem. A decepção nos desperta, nos envolve em estado de reflexão, muitas vezes doloroso, que nos dá a oportunidade de decidir se dá, ou não, pra aceitar e ser feliz ao lado deste alguém que é diferente da pessoa que idealizamos, deste alguém real. Decepção é o momento em que somos impelidos a desapegar da ilusão, e aí implorar por amor deixa de fazer sentido!

Se o que estamos recebendo não é suficiente, se não nutre, se por maior que seja o esforço ainda assim não basta, se para nós é migalha, então nós é que temos que desapegar e partir ao encontro de novas experiências. Ser feliz é minha responsabilidade, e delegar ao outro esta responsabilidade é negligência de minha parte.

nao corra atras de alguém

Importante aprender com a desilusão, quando deixamos para trás o hábito de idealizar começamos a ser felizes ao lado de pessoas que são de verdade. Cada um só dá o que tem, e se o que alguém tem para nos oferecer não é suficiente, temos que desapegar da ilusão de que cobrar afeto funciona, e partir para a busca de novas soluções.

Não implores amor.
Nem por um segundo.
Nunca.
Não peças algo que tem que ser dado de boa vontade.
Não pechinches por um sentimento que tem que vir sincero.
Tudo o que acontece de forma natural, acontece melhor.
Sabes aquela vontade cada vez maior de falar com alguém?
Aquela vontade incessante de saber mais sobre aquela pessoa, de estar mais com ela, de ter mais dela.
E ter isso de volta. Sem forçar ou insistir.
A atração simplesmente acontece.
As coisas fluem.
É natural.
Não vale a pena forçar uma situação que nitidamente não é para ser.
Tudo o que é colocado sob pressão só encontra um resultado: explosão.
Então pressionar alguém a estar contigo é burrice.
Forçar alguém a amar-te é idiota e perda de tempo, não vai acontecer.
O único resultado disso é decepção e mágoa.
Em ti e no outro.
E isso aplica-se às pessoas que tu acabaste de conhecer e a relacionamentos curtos e longos.
O máximo que tu podes fazer é dar motivos para que alguém goste de ti.
É seres uma ótima companhia, um ótimo companheiro.
Melhor, sê quem tu gostarias de estar junto!
Sê aquela pessoa inteligente, bem humorada e que tem a conversa interessante.
Sê aquela pessoa do abraço bom, aquela pessoa carinhosa que ilumina a sala.
Sê aquela pessoa que ninguém quer sair de perto
O melhor que tu podes fazer é dar motivos para que alguém fique
Porque mesmo que a pessoa vá… ela volta.
Volta porque quis.
Porque tu a fizeste voltar.
Sem pressão, sem pedir.
Não te vejas, nunca, na situação em que tu precisas pedinchar carinho e atenção
Dentro de um relacionamento isso é uma das piores coisas que pode acontecer
Mas isso é da maneira de ser… Ele(a) é meio frio e distante, não é nada romântico
Acredita, quando uma pessoa está mesmo a fim de algo ou alguém ela move montanhas, nada é difícil o bastante para impedi-la.
Então se ela precisar ser romântica, carinhosa, fazer surpresas ou declarações, ela fará!
Quando não está a fim, ou está acomodada, tudo parece penoso, tudo é difícil, tudo parece sacrificante.
E se tu chegaste ao estado de ficares feliz pelo menor mimo que seja… tu estás a implorar
A entrega na relação tem que ser igual, tem que vir dos dois.
Não da mesma forma, já que cada um tem seu jeito, mas na mesma intensidade, sim.
Não te satisfaças com migalhas, mas também não fiques a implorar por afeto.
Toma uma atitude.
Porque antes de tudo tu tens que amar a ti mesmo. E isso é tão óbvio!
Quando tu te amas, tu crias espaço para que outro alguém possa se aproximar e te amar também
Quando tu te iluminas, tu acolhes mais sorrisos.
Quando tu paras de implorar amor, tu estás pronto para entregar o teu
E receber o amor que tu mereces.
Texto de Hudson Baroni

Anúncios