Se você não tem o que ama, então ame o que tem.

Postado por Mila Orrico

Olá Pessoas Agradáveis!

As vezes fico intrigada com algumas pessoas que parecem não conseguir alcançar o estado de contentamento, que é a consequência de um momento feliz. São pessoas que não se sentem felizes por não conseguirem sentir satisfação com o momento presente, não se sentem amadas pelas pessoas que estão próximas, por um simples motivo: não valorizam o que têm.

Se você não tem o que ama, então ame o que tem.

Se você não tem o que ama, então ame o que tem.

Se você não tem o que ama, então ame o que tem.

Algumas pessoas nunca estão satisfeitas, dão mais valor a quem não se importa tanto com elas do que às pessoas que as amam de forma incondicional. Estas pessoas parecem ter um problema de foco. Se recebem uma visita, agastam-se em reclamar de um outro que não foi visitar-lhe, ao invés de aproveitar o tempo com quem foi. Ao invés de sentir-se feliz pela presença, reclamam da ausência.

Se recebem uma benesse divina, passados os primeiros momentos de satisfação, põem-se  a reclamam por ainda não terem conquistado tudo que almejam. Ao invés de sentir-se grato pelo que ganhou, reclama do que ainda não tem.

Não conseguem desculpar pequenas ofensas, se entregam a um grande melindre quando se vêem à frente de qualquer mal entendido. Transformam os problemas de percurso em grandes tempestades, sem conseguir manter a fé e a paciência, necessárias para alcançar todos os objetivos. Não entendem que o importante é o esforço para conquistar.

Há muros que só a paciência derruba, e ponte que só o carinho constrói.

ha muros que so a paciencia derruba

Há muros que só a paciência derruba, e ponte que só o carinho constrói.

Um dos grandes motores dos ciclos de insatisfação que as pessoas vivenciam é o comportamento egocêntrico. Todos nós somos um pouquinho egocêntricos, e fazemos um pouco disto tudo que acabei de citar, e isto é até normal para um planeta que se encontra em evolução, então para que fique claro, me refiro aqui aos que ainda são excessivamente egocêntricos, que são excessivamente infelizes.

Se você tiver a expectativa de que o mundo gire ao seu redor, que as pessoas sempre façam o que você quer, o que você pede, o que você deseja, seu foco estará sempre nas pessoas que não fazem a sua vontade, e frequentemente você se sentirá decepcionado.

Ora, apenas você é o responsável pelas expectativas que você cria. É justamente o excesso de expectativas que gera as decepções. Eu quero, mas é um direito do outro fazer, ou  não, a minha vontade, por melhor que seja o meu querer.

Para o egocêntrico, as pessoas que já vivem para lhe agradar deixam de ser interessantes, e passam a não merecer mais atenção…
Explico: 
se as pessoas que te amam estão sempre disponíveis, e estão sempre à mercê de suas vontades, então o egocentrismo faz com que você acredite que já não precisa mais conquista-las, o amor passa a ser uma exigência, pois elas passaram a fazer parte de uma coleção de servos do seu ego.
Aí você relaxa e passa a sentir apenas ciúmes delas, porque tem a ilusão de possuir. Porém, não lhe parece mais tão importante lhes dar atenção, porque de forma inconsciente você acredita que não precisará mais cultivar amor, elas sempre estarão lá, fazendo suas vontades, ao contrário das outras pessoas que você ainda não cativou. 

O que você tem e não valoriza a vida vem e lhe tira.

o que voce tem e nao valoriza a vida vem e lhe tira

O que você tem e não valoriza a vida vem e lhe tira.

Estas pessoas, as excessivamente egocêntricas, normalmente são manipuladoras, sempre dão um jeitinho de ter suas vontades obedecidas. E nós devemos estar atentos para identificar quando estamos vivendo na situação de servos de um egocêntrico, pois, este é um relacionamento que mais machuca que afaga,  já que o amor não é mútuo. As pessoas que o egocêntrico já conquistou são menosprezadas, então acabam abandonando as tentativas de manter o seu amor, e se vão. É uma narrativa um pouco piegas, mas é isto que acontece em todo tipo de relacionamento. O egocêntrico nem percebe o porquê de “sempre perder seus amores já conquistados”. Se isto acontece com você, talvez seja porque você se distrai, deixa de amar e passa a magoar.

Você não tem que perder pra dar valor. Tem que dar valor pra não perder.

Você não tem que perder pra dar valor. Tem que dar valor pra não perder.

Você não tem que perder pra dar valor. Tem que dar valor pra não perder.

Sempre defendi a ideia de que se queremos fazer algo por alguém, façamos por nossa própria satisfação, não esperando a retribuição. Quem faz simplesmente porque ama não “passa na cara”, nem se decepciona.

Por outro lado, preciso lembrar que embora precisemos praticar as virtudes que o Evangelho nos ensina, ainda vivemos na condição se seres humanos imperfeitos, ainda sem preparo para vivenciar o Ágape (amor divino, incondicional, que não exige retribuição). Por isto, é sensato que, quando a ausência de retribuição começar a nos fazer mal, quando nos sentirmos explorados, quando nossa presença nos faz sentir como se estivéssemos ausentes, procuremos novas fontes de amor.

Aprenda a dar sua ausência pra quem não valoriza a sua presença.

aprenda a dar sua ausência para quem nao valoriza sua presença

Aprenda a dar sua ausência pra quem não valoriza a sua presença.

Com certeza há ausência de Amor no coração onde habita o egocentrismo, que é filho legítimo do egoísmo. Mas, isto não faz da pessoa um pecador irreparável, e não acredito que devamos ser indiferentes com estas pessoas, porque Jesus não o foi para conosco, tão cheios de deficiências morais.

O egoísta é assim porque ainda não aprendeu a amar, não teve exemplos suficientes; há nele ausência de amor. O egoísmo nos torna infelizes por que cega e ensurdece o coração. É o egoísmo que nos faz agir de forma egocêntrica, que nos faz deixar de nutrir amor pelas pessoas. O egoísmo é como uma doença da alma. Sim, é tudo culpa dele!

E qual o remédio, o contrário de egoísmo? O velho e bom amor!

Quando não temos amor perdemos até o que não temos, o que poderíamos vir a ter. Lembrando as palavras do Cristo:

Porque, àquele que já tem, mais lhe será dado e ele ficará na abundância; àquele, entretanto, que não tem, mesmo o que tem lhe será tirado. Falo-lhes por parábolas, porque, vendo, não vêem e, ouvindo, não escutam e não compreendem. – Mateus 13:12-13

A maior parte da humanidade é infeliz porque ainda é egoísta. O maior problema desta forma de “levar a vida” é que você não se preocupa com os pensamentos e os sentimentos relacionados àqueles que estão ao redor, e a consequência disto é uma constante chuva de decepções. É que o egoísta não aceita que as pessoas não façam sua vontade, por isto ele sente ciúme, ele prende, ele sufoca. Ora, somos livres, ninguém tem a obrigação de fazer a vontade do outro, mas se não avisarem ao “outro”, ele não vai saber.

Quando vejo as pessoas transbordando de ciúmes, eu que sou defensora ferrenha do amor livre de cobranças, lembro sempre das palavras do querido Chico Xavier, que falam de forma tão doce sobre o amor autêntico, desprendido de ilusões, que muitos de nós ainda não conseguem sequer vislumbrar:
O amor não prende, liberta! Ame porque isso faz bem a você

o amor não prende, liberta
O amor não prende, liberta! Ame porque isso faz bem a você
Ao invés de amarem o que têm, muitos de nós fazem o movimento contrário, reclamam do que não têm. Muitas vezes perseguem os amigos e familiares que se mantêm mais distantes, cobrando afeto. Se utilizando do “direito de sentir ciúmes”, publicam mensagens no facebook, e em outras redes sociais, com “indiretas” que agridem de todas as formas. Buscam de forma equivocada o amor dos que estão distantes, sem valorizar àqueles que estão próximos, perdendo a chance de cativar a todos. Não entendem que têm ali uma oportunidade de estar perto, mesmo que seja apenas através de uma tela.

Vivem cobrando nossa presença, mas não entendem que o amor do outro não será conquistado à força de palavras agressivas. O amor não será conquistado através de mensagens que expõem sua sinceridade cruel, seu sentimento desequilibrado e carregado de melindres por não ter do outro o que deseja. Não permitem que suas mentes acolham o ensinamento cristão que expressa que devemos fazer ao outro aquilo que desejamos para nós, ou seja, se você quer ser amado, seja amável.

 se você quer ser amado deve ser amável.

Se voce quer ser amado seja amavel

 se você quer ser amado deve ser amável.

Pessoas egocêntricas acabam perdendo o pouco que têm, buscando o amor que não têm. Preterindo, e muitas vezes magoando, os que já as amam, que não exigem esforços hercúleos em troca de um pouco de afeto. Não vêem que são os amigos e familiares próximos, os que as amam com maior intensidade, que merecem seu tempo e dedicação, são os que merecem seus esforços, é com estas pessoas que é preciso manter os laços de afeto.

Ao invés de sentirem-se contentes com o que estão vivenciando no momento presente, estão sempre ansiosas com o olhar no futuro que ainda não aconteceu, ou angustiadas com o passado que já passou.

Para que não seja mal interpretado preciso acrescentar que não é intenção deste texto fazer apologia ao “só o hoje é que importa”.  A ideia central é enfatizar que é preciso construir o futuro com a oportunidade que nos é dada no hoje, com o que se tem agora, com as pessoas que estão conosco dispostas a nos amar agora, sem excesso de expectativa, sem a angústia do desejo de reviver o que já passou.

Assim como o pensamento de Heráclito, que diz que ninguém pode entrar duas vezes no mesmo rio, afirmo também que ninguém pode sentir a mesma sensação de felicidade duas vezes, o passado já passou, não volta mais, nunca mais será do mesmo jeito, da mesma forma que se entrarmos no rio novamente, não encontraremos mais as mesmas águas. E o futuro, ele será apenas uma consequência do momento presente, se não vivemos o presente, o futuro será construído destes blocos de vazio que moldamos num momento que vai se chamar passado.

Enquanto continuar reclamando do que não tem, de quem não está perto, de quem não ama como no passado, o presente será sempre preenchido pela angústia gerada pela saudade do que já foi, e pela ansiedade de viver o amanhã. E este ciclo não terá fim para quem não acordar para o fato de que a vida acontece agora. Se você não tem o que ama, então ame o que tem.

Quando eu deixei de olhar tão ansiosamente para o futuro

quando eu deixei de olhar tão ansiosamente

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s