A oportunidade do insucesso

Postado por Mila Orrico

Aí eu me armo de desculpas pra não fazer o que é mais importante, e desperdiço meu tempo com tudo aquilo que não precisa ser feito agora, invisto tempo e esforço em coisas que não vão gerar resultado, ignoro minhas metas, coloco a culpa nos outros que também não estão fazendo a sua parte, e deixo o mais importante pra depois. Assim estou aproveitando a oportunidade do insucesso.

Verdade dói, mas é verdade que no final alguém sempre vai aproveitar a oportunidade que eu preguiçosamente estou deixando passar!

Melhor é aproveitar o tempo agora… Vai que amanhã tudo já mudou, as portas se fecham, a luz apaga e a oportunidade não existe mais?

1. Tenha objetivos;
2. Monte um plano para alcançar seus objetivos, crie metas baseadas em valor para saber se está chegando lá (mensuráveis e quantificáveis);
3. Tire a bunda da cadeira (ou se você trabalha com um computador coloque a bunda nela) e vá trabalhar, e não descanse até alcançar suas metas e conquistar seu objetivo!

Feliz segunda-feira, dia feliz pra quem tem saúde, inteligência e não delega aos outros a responsabilidade de conquistar seu próprio sucesso! =D

nao há vagas pra quem nãoaproveita as oportunidades

Ele está velho, pode ser o último aniversário dele

Postado por Mila Orrico

Esqueçam isso de acreditar que os mais velhos desencarnam primeiro, sempre pode ser o último aniversário de qualquer pessoa do mundo, inclusive o seu ou o meu.

Certa vez escutei a frase: “quando você quiser visitar ela já vai estar no caixão, não vai mais dar tempo”. Lembro que pensei… o simples fato de alguém “estar velho” não é por si só um bom motivo para me estimular a visitar esse alguém, principalmente se o estímulo chega como ameaça. E foi inócuo pra mim, se você é cristão ou espiritualista você sabe bem que a vida continua, então sempre vai ser possível um reencontro, mesmo que seja no plano espiritual, basta ter vontade e merecimento. Importante é visitar sempre, não apenas no aniversário, mas principalmente no aniversário.

Um bom motivo para encontrar alguém é o amor que essa pessoa desperta em mim, como ela me faz sentir querida, acolhida, e como eu me sinto bem quando estou com ela. Uma visita não deve ser um ato que traduz o cumprimento de uma obrigação, feita assim tem pouco valor. Uma visita a alguém deve ser um ato de Amor.

A vida não dá garantias, ame agora como você puder amar, não como os outros querem que você ame, e também não exija que os outrem amem à sua maneira. A vida é única e os corações são independentes. Não se apegue as complicações e entraves do dia-a-dia.

Enquanto estava encarnado eu visita meu vô Zé Vicente sempre que podia, eu sabia que ele realmente gostaria de estar comigo, estar com ele era uma troca linda de muito amor. Se demorava muito minha mãe de forma muito gentil me falava: vamos Mila, ele deve estar com saudade. Esse sim é um doce incentivo.

Do bebê ao idoso a única certeza que se tem quando se nasce é que iremos retornar para a vida espiritual, para o local de onde partimos, e que isso pode acontecer a qualquer momento. Independente da idade e da expectativa será sempre uma surpresa infeliz, então não se apegue as decepções e aproveite as alegrias de cada dia.

E quando for a minha vez, lembrem de não exagerar no choro, pq eu sou uma pessoa alegre e positiva, com certeza iria encontrar uma forma de lhe fazer rir ou iria lhe sacudir, pra lhe fazer compreender que a vida continua onde quer que estejamos, e que no céu, assim como todos, eu vou reencontrar muita gente boa que conheci por aqui.

Zé Vicente

Pra ter valor é preciso fazer bem ao coração.

Zé Vicente

 

Amor é uma luz que não produz sombras

Postado por Mila Orrico

Amor é uma luz que não produz sombras. Se você ama, mas seu coração está sombreado, há grandes chances de ser tudo culpa de uma sensação deliciosamente avassaladora e transitória chamada de paixão não correspondida, comumente confundida com amar demais, o que é um erro, pois amor não se mede, é impossível medir, é impossível saber se é muito ou pouco, o que dá pra medir é que amor nunca é demais. Ou a confusão que está causando a escuridão pode ser um sentimento irracional e sem sentido, chamado de ciúme, que te faz mergulhar na ilusão de ter a posse de um ser humano, coisa infrutífera, afinal pessoa alguma é capaz de dominar a si própria, quiçá comandar o coração de outra. Ou até pode ser que, na verdade nua e crua, seja a falta do próprio Amor que cause dor, nesse caso, pode ser que, no seu ser, falte amor a si próprio.

Fotografia de Mila Orrico e Vanessa Vinhas

Mila e Nêssa Vinhas – Amor de irmãs é amor que não se mede.

Migalhas de amor não nutrem o coração

Postado por Mila Orrico

O autor David Richo acredita que há cinco certezas inevitáveis que todos nós enfrentamos, mas que são simplesmente encaradas como surpresas desagradáveis: 1. Tudo muda e acaba; 2. As coisas nem sempre acontecem como planejado; 3. A vida nem sempre é justa; 4. A dor faz parte da vida; 5. As pessoas não são amáveis e leais o tempo todo. Diz ele que quem assimila rapidamente esses fatos como “certezas” vive melhor e consegue amadurecer com as experiências. De maneira objetiva ele mostra como podemos ser felizes mesmo não podendo mudar alguns fatos da vida.

Prestar atenção ao que depende e ao que não depende de nós, ao que se pode e ao que não se pode mudar nos traz por consequência menos estresse, abrir mão de controlar tudo nos faz sentir a vida mais macia, os pensamentos mais leves. A vida fica menos atravancada, e tudo flui melhor, quando entendemos que não é nossa responsabilidade aquilo que não podemos controlar. E há muitas coisas que sequer devemos tentar controlar, umas delas é o jeito de ser das pessoas que amamos. Tentar moldar o outro à nossa própria maneira é um ótimo meio de conquistar fracassos afetivos e emocionais. Se o que o outro nos oferece não é suficiente para nós, então cabe a nós a mudança, não ao outro.

amar é deixar aqueles que amamos serem eles mesmos

Não podemos, nem precisamos controlar tudo, e se entendermos isto também entenderemos que as pessoas não mudam apenas por nossa vontade. A gente pode até tentar contribuir com a mudança, motivar, e até exigir, as vezes a pessoa tenta e para satisfazer nossa vontade a mudança acontece, mas de forma temporária, um tempo depois tudo volta a ser como antes, e cada vez mais as tentativas são mais frustradas, e fica cansativo para as duas partes insistir com as mesmas expectativas de uma mudança que acaba sempre acontecendo apenas de forma passageira. Não é pra sempre que conseguiremos ignorar aquele pequeno incomodo no fundo do coração, aquela  pequena luz que lá no fundo sinaliza que não vale insistir. É natural, a gente idealiza a pessoa, tentando transformar o que se tem no que se deseja. Mas, tentar ser feliz ao lado de alguém que só existe em nossa imaginação não funciona.

não acomode-se com o que te incomoda

Pessoas só mudam por vontade própria. A mudança autêntica acontece quando a gente entende que se não mudarmos faremos a(s) pessoa(s) que amamos infeliz(es), e nós seremos infelizes por consequência. E ainda assim, mesmo com vontade autêntica ainda demora um longo tempo, porque toda mudança de hábitos é um processo de transformação do ser. Já somos acostumados a ser como somos há vários anos, há várias vidas, por isto mudar com a velocidade do toque da varinha de condão é impossível, requer muito foco, muito esforço e persistência.

Adquirimos a capacidade de mudar quando nós próprios sentimos que precisamos transformar nosso íntimo, quando identificamos que realizar uma reforma interior é necessário para não sofrermos mais, para não perdermos quem amamos, para sermos mais felizes, aí sim, a mudança acontece. Não adianta forçarem uma transformação de fora pra dentro, tem que partir de mim!

desilusão é a visita da verdade chico xavier

Desilusão é a visita da verdade, disse-nos Emmanuel através de Chico Xavier. Desilusão demora, mas chega. A gente se acomoda, e corre da verdade até não poder mais, até o dia em que ela fica escancarada de um modo tão grande que não exista mais pra onde desviar o olhar, aí só nos cabe ver o óbvio. E o que faz diferença neste momento é a atitude de compreender e aprender.

A decepção nos mostra que a pessoa com quem estamos lidando não é perfeita, nos mostra o nosso excesso de expectativas, é quando as falhas ficam evidentes, e nos cabe simplesmente decidir se conseguimos conviver com isto. É quando nossa mente se questiona se este alguém realmente nos faz bem. A decepção nos desperta, nos envolve em estado de reflexão, muitas vezes doloroso, que nos dá a oportunidade de decidir se dá, ou não, pra aceitar e ser feliz ao lado deste alguém que é diferente da pessoa que idealizamos, deste alguém real. Decepção é o momento em que somos impelidos a desapegar da ilusão, e aí implorar por amor deixa de fazer sentido!

Se o que estamos recebendo não é suficiente, se não nutre, se por maior que seja o esforço ainda assim não basta, se para nós é migalha, então nós é que temos que desapegar e partir ao encontro de novas experiências. Ser feliz é minha responsabilidade, e delegar ao outro esta responsabilidade é negligência de minha parte.

nao corra atras de alguém

Importante aprender com a desilusão, quando deixamos para trás o hábito de idealizar começamos a ser felizes ao lado de pessoas que são de verdade. Cada um só dá o que tem, e se o que alguém tem para nos oferecer não é suficiente, temos que desapegar da ilusão de que cobrar afeto funciona, e partir para a busca de novas soluções.

Não implores amor.
Nem por um segundo.
Nunca.
Não peças algo que tem que ser dado de boa vontade.
Não pechinches por um sentimento que tem que vir sincero.
Tudo o que acontece de forma natural, acontece melhor.
Sabes aquela vontade cada vez maior de falar com alguém?
Aquela vontade incessante de saber mais sobre aquela pessoa, de estar mais com ela, de ter mais dela.
E ter isso de volta. Sem forçar ou insistir.
A atração simplesmente acontece.
As coisas fluem.
É natural.
Não vale a pena forçar uma situação que nitidamente não é para ser.
Tudo o que é colocado sob pressão só encontra um resultado: explosão.
Então pressionar alguém a estar contigo é burrice.
Forçar alguém a amar-te é idiota e perda de tempo, não vai acontecer.
O único resultado disso é decepção e mágoa.
Em ti e no outro.
E isso aplica-se às pessoas que tu acabaste de conhecer e a relacionamentos curtos e longos.
O máximo que tu podes fazer é dar motivos para que alguém goste de ti.
É seres uma ótima companhia, um ótimo companheiro.
Melhor, sê quem tu gostarias de estar junto!
Sê aquela pessoa inteligente, bem humorada e que tem a conversa interessante.
Sê aquela pessoa do abraço bom, aquela pessoa carinhosa que ilumina a sala.
Sê aquela pessoa que ninguém quer sair de perto
O melhor que tu podes fazer é dar motivos para que alguém fique
Porque mesmo que a pessoa vá… ela volta.
Volta porque quis.
Porque tu a fizeste voltar.
Sem pressão, sem pedir.
Não te vejas, nunca, na situação em que tu precisas pedinchar carinho e atenção
Dentro de um relacionamento isso é uma das piores coisas que pode acontecer
Mas isso é da maneira de ser… Ele(a) é meio frio e distante, não é nada romântico
Acredita, quando uma pessoa está mesmo a fim de algo ou alguém ela move montanhas, nada é difícil o bastante para impedi-la.
Então se ela precisar ser romântica, carinhosa, fazer surpresas ou declarações, ela fará!
Quando não está a fim, ou está acomodada, tudo parece penoso, tudo é difícil, tudo parece sacrificante.
E se tu chegaste ao estado de ficares feliz pelo menor mimo que seja… tu estás a implorar
A entrega na relação tem que ser igual, tem que vir dos dois.
Não da mesma forma, já que cada um tem seu jeito, mas na mesma intensidade, sim.
Não te satisfaças com migalhas, mas também não fiques a implorar por afeto.
Toma uma atitude.
Porque antes de tudo tu tens que amar a ti mesmo. E isso é tão óbvio!
Quando tu te amas, tu crias espaço para que outro alguém possa se aproximar e te amar também
Quando tu te iluminas, tu acolhes mais sorrisos.
Quando tu paras de implorar amor, tu estás pronto para entregar o teu
E receber o amor que tu mereces.
Texto de Hudson Baroni

Amor bem administrado

Postado por Mila Orrico

Mais um dia dos namorados, e continuo cada vez mais acreditando que a gente, enquanto casal, consegue ser mais feliz quando vive um dia de cada vez, e quando a gente vive principalmente o hoje! Deixar pra viver as experiências apenas quando elas acontecerem nos dá a liberdade de aproveitar o durante, aprendendo para melhorar o depois. Saber viver o momento é fundamental.

Isso é realmente muito importante, é prejudicial para a saúde se “PRE-ocupar” com algumas PREocupações que são de amanhã. O que se faz pra ser feliz com tantos problemas bombardeando nossa mente o tempo todo?

Parar e pensar que alguns problemas não devem mesmo ser consumidos hoje ajuda, mas o que faz mesma a diferença para mim é ter ao meu lado um companheiro de jornada que está sempre me estimulando a ser a melhor versão de mim, me mostrando um lado positivo, uma outra forma de pensar, que eu não sou perfeita e que isto é normal. Às vezes, tudo que ele faz é simplesmente só me abraçar, e isto é tudo que eu preciso pra me sentir feliz no momentos  de ansiedade, em que eu perco o ritmo e o mundo desaba em minha cabeça!

Mesmo com as esperadas e não esperadas dificuldades de todos os dias, tenho a sensação de que meu casamento tem dado certo. Além de muito amor, os nossos problemas tem sido bem administrados, isto tem feito diferença. É ele quem sempre me lembra, com o seu jeito de ser, que “A felicidade não se resume na ausência de problemas, mas sim na sua capacidade de lidar com eles.”. 

a felicidade não se resume na ausência de problemas

Amar é para os fortes. Não é fácil conhecer todos os defeitos mais íntimos de alguém, lidar com seus problemas de caráter e personalidade,  perceber suas limitações sociais e espirituais, e desejar continuar ao lado desta pessoa mesmo assim. Por isto amores fracos não merecem e nem duram muito tempo. Muita gente quer casar, sem antes descobrir com que tipo de pessoa quer (ou consegue) conviver e compartilhar a vida!

Hoje sinto que ter por objetivo casar é um desejo bobo quando ainda não se encontrou aquele alguém com quem você quer estar junto todos os dias, mesmo depois das piores brigas e maiores frustrações, no fim você ainda quer estar com esta pessoa.

Namorar outras pessoas antes de casar foi importante para que eu tivesse a experiência de cometer erros com as pessoas que não eram as “certas” pra mim, pessoas que tinham defeitos que eu ainda sou incapaz de tolerar. Encontrei a pessoa certa e já não cometo erros bobos, ainda erro muito, mas já não erro com tanta facilidade. Que se dane a toalha molhada e o tubo da pasta de dente apertado no meio, o que me importa é que existe alguém que usa a toalha e que se a pasta está acabando é pq existe alguém que usa comigo. Tem que ter boa vontade! Lá a gente descomplica, pirracinha e birra não tem espaço lá em casa, e a comunicação é direta, se magoou fala, se agradou fala também, não brincar de advinha ajuda muito!

Casamento não deve ser um objetivo,  porque é uma consequência. Casamento deve ser a consequência de ter encontrado alguém com quem você sinta um amor forte. Casamento deve ser a consequência de ter encontrado alguém pra caminhar ao seu lado, alguém com quem você goste de conviver, de morar, de conversar, de namorar, de dormir e de acordar, cujos defeitos você conheça, mas consiga tolerar, compreender e perdoar. Não é suficiente amar, precisa ser alguém que você goste de amar, alguém que traga amor para sua vida, que faça você se sentir amado. O casamento é a consequência de ter encontrado alguém que é o amor da sua vida.

Pode ser que não dure a vida toda, mas se durar pelo menos mais um dia eu serei ainda muito feliz, o importante é que tenho você e sou feliz agora! Sem dúvida alguma, eu casei com o amor da minha vida. Eu posso dizer por experiência que dividir os problemas é multiplicar as alegrias!

ja-parou-para-pensar

Meu marido é o motivo de muitos dos meus sorrisos! Esta semana fiz as contas, por dia ele me diz “Eu te amo” no mínimo 30 vezes, e eu sorrio a cada vez que escuto ou leio, porque o modo como ele me diz, em todas as vezes, me faz sentir amada. Então, fora todas os outros bons motivos, ele me provoca no mínimo 30 sorrisos todos os dias!

Além de muito amor eu também sinto muita gratidão, pessoa tão incrível quanto ele eu não conheço e imagino que não há, porque para mim ele é moralmente superior.

Obrigada Amor, eu te amo e me sinto amada! Obrigada por além de ser meu companheiro, continuar sempre de forma surpreendente me conquistando e despertando paixão, por continuar sendo o meu namorado todos os dias! Dormir ao seu lado, e acordar com você é um dos motivos que me causa maior alegria nesta vida.

Hoje me sinto feliz, você me faz feliz. Amo morar com você, amo namorar você, amo o privilégio de ser sua amiga, sua companheira nesta jornada, e amo poder sentir isto tudo vivendo um dia de cada vez. Amo amar você!

Eu te amo marido, e como eternos são só os dias felizes, mesmo que um dia deixemos de ser casados, eu vou querer casar com você de novo! Porque eu sei que vou te amar por toda esta vida, e depois desta também! Que você seja sempre muito feliz, ao meu lado é claro!

– Mila Orrico

love

A estranheza de conviver com um estranho que já foi tão íntimo.

Postado por Mila Orrico

A gente muda o tempo todo, mas as vezes a gente muda de forma diferente do outro, e o que era sintonia passa a ser desarmonia. Entender que as vezes o vínculo simplesmente deixa de existir nos ajuda a desapegar do passado que foi bom, mas já não existe mais. Então não se apega, desapega logo que sobra mais tempo pra ser feliz!m dos piores tipos de saudade é conviver com uma pessoa e sentir saudades de como ela já foi um dia.

Quando você tem uma casa espiritual na Terra

Postado por Mila Orrico

Certa vez em uma doutrinária ouvi Lívia Pereira, a fundadora do Centro Espírita onde trabalho, nos dizer que a missão dela era construir a nossa casa espiritual na Terra. De forma simples, esta fala teve um impacto grande em meu coração, minha mente se expandiu com a ideia de quão importante é a existência desta casa para seus trabalhadores. Quão afortunados somos por ter aqui na Terra um local de cura do Espírito. É para lá que vamos curar nossas angústias, curar nossas frustrações, curar nossas dores morais, curar nossa falta de fé, curar nossa descrença no Evangelho, curar nossa ignorância em relação às leis de Deus. Na Casa da Caridade Irmã Elisabete aprendemos na prática que essa cura acontece sempre através do trabalho, que é coordenado pelos bons Espíritos, orientados por Jesus.

Quando você tem uma casa espiritual na Terra você nunca se sente só, você tem a convicção de que naquele lugar existem pessoas encarnadas e desencarnadas dispostas a lhe amparar, lhe acolher, dispostas à fazer você caminhar, mesmo quando você não está lá. Mesmo nos momentos mais difíceis você sabe que será envolvido por todos as boas vibrações possíveis, que lhe darão força para continuar.  Em uma casa espiritual você adquire, aos poucos, a convicção de que dor é uma ferramenta que existe para que nosso coração seja burilado, e principalmente, você tem o estímulo necessário para instruir sua alma com o que é necessário para começar a compreender sobre a imensidão da vida humana. Eu sou feliz nesta vida, e grande parte desta bem-aventurança tem a grande contribuição da existência deste local.

A minha casa espiritual é uma casa espírita, mas não acredito que esta é uma característica exclusiva do Centro Espírita. Penso que podemos encontrar esta casa em qualquer lugar que reúna qualquer conjunto de pessoas dispostas a orar e auxiliar outras pessoas em suas necessidades espirituais, dispostas à agir com Caridade. Caridade significa “amor à Deus e ao próximo”, e uma casa espiritual é um lugar onde Caridade é um exercício diário, inclusive caridade para consigo próprio.

A cada novo aniversário desta minha casa eu sinto renovado o sentimento de gratidão à Lívia e a Irmã Elisabete. Gratidão por poder trabalhar em minha casa espiritual na Terra, pela oportunidade de conviver em um lar espiritual! Neste último sábado tivemos mais uma vez um Feliz Aniversário!

Parece-me que no Céu

a minha missão será atrair as almas

ajudando-as a sair de si

para se unirem a Deus

por um movimento bem simples e amoroso

e a guardá-las

nesse grande silêncio interior

que permite a Deus

 imprimir-se nelas

transformando-as em si.

– Irmã Elisabete

Bolo Casa da Caridade Irmã Elisabete

 

A Casa da Caridade Irmã Elisabete é um lar. O que é um lar? Um local onde sempre sentimos vontade de voltar. Lar é um local onde quando chegamos somos recebidos com amor, com sorrisos, com palavras exclusivas de saudade e acolhimento. Não importa se você esteve lá a pouco ou muito tempo, é um local onde sempre somos envolvidos em abraços fraternos por nossa família. O que é família? É o conjunto de pessoas que nos amam, e por isto nos auxiliam a caminhar em nossa reforma íntima, estão sempre dispostas a compreender nossas falhas, são aqueles que nos fazem sentir vontade de ser pessoas melhores.

Rendo graças a Deus, pois tive a benção de reencontra-los, e tenho a oportunidade de conviver com minha família espiritual, aqui na Terra!